Crosby, Stills, Nash & Young | Déjà Vú


Para seu segundo álbum, David Crosby (ex-Byrds), Stephen Stills (ex-Buffalo Springfield) e Graham Nash (ex-Hollies) chamaram o amigo Neil Young, que tinha acabado de lançar After the Gold Rush, um dos seus trabalhos mais importantes.

Foram quase 800 horas de gravação, em circunstâncias nada auspiciosas. A namorada de Crosby, Christine Hinton, morreu num acidente de carro em setembro de 1969 - e ele não se recuperou buscando consolo na heroína. Bebidas e cocaína abundavam no estúdio; o grupo brigava o tempo inteiro - o bem humorado Young vivia ausente - e Nash foi forçado a assumir o papel de pacificador. De algum jeito eles acabaram fazendo uma obra-prima que captou o espírito da cultura da Costa Oeste dos EUA no início dos anos 70.

1970 | DÉJÀ VU

01. Carry On
02. Teach Your Children
03. Almoust Cut My Hair
04. Helpless
05. Woodstock
06. Déjà Vu
07. Our House
08. 4 + 20
09. Country Girl
   a. Whiskey Boot Hill
   b. Down Down Down
   c. Country Girl (I Think You're Pretty)
10. Everybody I Love You

"Carry On" é uma maravilha camaleônica, com harmonias arrepiantes, uma das melhores músicas já feitas para curar ressaca na manhã de domingo. "Our House" e "Teach Your Children" comprovam o dom de Nash para fazer melodias simples e cativantes. "Almost Cut my Hair" traz Crosby em sua luta contra o autoritarismo, com sua voz gutural em contraponto às harmonias vocais puras, características do grupo. A majestosa "Helpless" é a homenagem de Young aos amplos espaços abertos de seu Canadá natal, enquanto "Country Girl" é um peça admirável, com arranjos ambiciosos.

Com seus vocais incomparáveis, sua dinâmica musicalidade e perfeita carpintaria das canções, não é de admirar que o álbum tenha sido catapultado ao primeiro lugar nos EUA.

Do livro 1001 Discos para Ouvir antes de Morrer

Nenhum comentário: